Google+

22 de ago de 2013

A cor da moda no design de interiores

A dica de muitos profissionais da área de decoração e Design de Interiores é usar acabamentos e mobiliário neutro para deixar as cores em alguns acessórios específicos que sejam fáceis de serem substituídos.

Exite um mito a ser desfeito: cor por si só não enjoa ninguém. Pelo contrário, as cores dão vida e personalidade aos ambientes!



Além disso, o que seriam acessórios fáceis de serem substituídos? Isso é uma questão bem pessoal. Para um cliente, mantas, capas de almofadas e tapetes. Para outro, talvez a tinta da parede (é só passar outra demão). E os estofados, não podem ser substituídos quando o tempo passa e ficam gastos?

É praticamente regra que a paleta de cores utilizada para a moda de roupas, acessórios, calçados, esmaltes etc. é a mesma que entra em voga no Design de Interiores (ver aqui). No momento, por exemplo, está em alta o azul Tifanny e o turquesa:

- Cor da moda -
A mesmíssima que aparecem nos ambientes mais atualizados!



É claro que, antes de adotar qualquer moda, é preciso buscar o que agrada ao cliente. E se a cor da moda interessa, temos a união do útil ao agradável: o projeto acaricia duplamente o desejo do cliente por algo mais atual. Apenas é preciso ver se a tonalidade é adequada ao ambiente, observando que sensações/sentimentos ela provoca naquele que vai frequentá-lo.

Por outro lado, independentemente da vontade de ousar ou não na decoração, o ambiente inevitavelmente estará defasado daqui alguns anos (veja o exemplo da cozinha), e isso deve ser levado em conta. O fato é que, quando se gosta de uma cor (não porque ela é a cor da moda), o ambiente vai sempre "abraçar" quem nele fica. É preciso saber escolher com carinho, acima de tudo.

Érica Marina

*Atualização: Este post foi escrito em 2013 --> veja minha sugestão para 2014: aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...