Google+

13 de jan de 2014

O verdadeiro Loft e como ele mudou conceitos

O loft é um conceito que surgiu em Nova York na década de 1960 quando um grupo de artistas, bailarinos, escritores e intelectuais de baixo poder aquisitivo passou a ocupar antigos galpões e armazéns industriais, convertendo-os em local de habitação e trabalho. Esse grupo de pessoas procurava espaços amplos e os transformavam em locais onde a arte é parte integrante da vida.

As características dessas casas-ateliês eram a manutenção das estruturas aparentes (como dutos elétricos, vigas, pilares etc.) e acabamentos rústicos, como tijolo à vista e concreto aparente, além das grandes janelas de vidro, que originalmente haviam sido projetadas para a circulação abundante e rápida às fábricas e para a entrada de grandes equipamentos. Além disso, esses antigos ambientes industriais contavam com pé-direito duplo, que seria reaproveitado pelos novos moradores para incluir um mezanino, onde estabeleceriam a área privativa da nova residência. Mesmo nessa área íntima, a integração se mostrava presente entre o dormitório e o banheiro.

Essa forma de morar, inaugurada pela falta de recursos para uma residência nos moldes tradicionais, acabou por ativar um novo senso estético e de organização dentro do espaço residencial e também por refletir um estilo artístico e de anti-conformismo de interiores. Rompia-se com a tradicional organização da casa, com rígidas divisões em cômodos, para se utilizar um espaço integrado em prol de diversas funções. Os móveis passam a ser flexíveis e mutáveis, preferencialmente modulares. A cozinha passava a se integrar também à área social.

Até hoje, essas características do conceito do loft têm força atuante e muitas vezes acabam sendo incorporadas à nossa residência, como a planta livre e a livre disposição dos móveis. A aparência industrial e brutalista faz parte do senso estético de muitos projetos de interiores desde então: ferro, aço, cimento e materiais de origem industrial e tecnológica.

Ironicamente, apesar das raízes, essa atitude inconformista virou sinônimo de sofisticação e status. Por isso, muitas construtoras apropriam-se do termo "loft" para vender apartamentos com planta aberta e que tenha algumas vezes, mas nem sempre, certas características do estilo urbano-industrial. A apropriação do termo é bem discutível, mas a maior parte dos profissionais concorda em classificar como loft um grande espaço anteriormente não-habitado, quase sempre com a estrutura e as instalações à vista, que é convertido em um local de habitação flexível conforme a exigência do morador.

Para entrar no verdadeiro espírito, seguem fotos de um antigo depósito em São Francisco, EUA, que virou um loft muito charmoso. Notar que a fachada original e a estrutura foi mantida.




















Fonte das imagens: aqui

Érica Marina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...