Google+

1 de abr de 2014

O modernismo ainda hoje!

Muitos dos modismos contemporâneos são apenas a popularização da arquitetura moderna desenvolvida no pós-guerra. De tão revolucionária, seus conceitos ainda perduram.

A Villa Savoye, construída entre 1929 e 1931 e idealizada por Le Corbusier, o arquiteto símbolo do modernismo, adianta muito dos padrões mais ousados da arquitetura que ainda construímos hoje. A construção resume seus 05 pontos de vista para a arquitetura moderna. Confira:

1. Apoiar a estrutura por pilotis (palafitas de concreto armado)

Ao levantar a estrutura do chão, ele simplesmente removeu todas as obstruções do nível do solo.




2. A fachada livre (paredes não estruturais)

Após a estrutura liberada, a fachada não foi construída para apoiar o edifício, mas apenas atuou como a sua "pele".




3. Planta livre

O concreto armado na casa oferece um plano livre para ser organizado livremente em ambientes.



4. Janelas horizontais em fita

A grande possibilidade de abertura para a iluminação natural se dá graças à estrutura do prédio.




5. Telhado verde

O telhado plano tem uma função extra como um jardim no terraço do edifício. A ideia de ter espaço verde na parte superior da casa é como uma compensação para a substituição da perda de vegetação no terreno original, que foi coberto pelo edifício.



Bom... até aí talvez não seja novidade, certo? Mas a surpresa é que o Design de Interiores daquela época também adiantou muito do que temos hoje!

A profissional contratada por Le Corbusier no final dos anos 1920 definiu brilhantemente como organizar a planta livre dos grandes prédios, bem como a forma de aproveitar os pequenos espaços em projetos como os das Unités d'Habitacion - grandes edifícios modulares de um programa de reconstrução do governo francês após II Gerra Mundial. O nome desta adorável designer de interiores criadora de ambientes funcionais e vanguarda era Charlotte Perriand. Veja alguns de seus trabalhos:

A tão admirada organização despojada com móveis de design:
Sala para um orçamento popular, Salon des arts ménagers, 1936. Fonte

E a famosa solução da estante divisória com nichos:

Biblioteca para o escritório da Air France em Londes, 1957. Fonte.
Mesa balcão, aparador ao lado da mesa, coluna revestida de espelho.... nada disso é novidade:
Imagem

Já a estante formando nichos na parede parece ter acabado de sair da prancheta, não?


A Unité d'Habitation em Marselha ainda mantém muito dos traços originais, o que nos permite conferir em cores a originalidade dos interiores desta época. Veja o corredor com portas coloridas:

Imagem
 Atentar-se à integração entre os ambientes:

Imagem

Essas unidades ainda hoje estão perfeitamente adequadas às necessidades da vida atual. Veja como a cozinha atrás dos nichos coloridos se integra ao restante do espaço:
Imagem
Impressionante, não?

Érica Marina

2 comentários:

  1. Parecem projetos recentíssimos, desses que vemos nas revistas atuais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato! O que vemos hoje é aplicação de conceitos já consolidados há um bom tempo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...